Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Turn Right Into Your Arms.

por Dady, em 01.07.09

Boa noite!

Antes de mais nada, parabéns à minha Juinha que hoje faz aninhos x3

Bom, eu tinha de escrever esta one-shot. É outra OS pequenina sobre nós os dois.

Escrevi-a a ouvir a Turn Right dos Jonas Brothers.

 

                                                                                                  Beijinhos.
                                                                                                  Fiquem bem.

_____________________________________________

 

 

   Eles riam-se e conversavam alegremente. Um par à frente e outro atrás, tal como prometido. Ele sentia-se como se estivessem os dois sozinhos. Era essa a sensação que ele sempre quisera numa saída com ela. Sem mais ninguém para atrapalhar. Ela sorria por finalmente lhe falar, por ter conseguido sair com ele, por poder sorrir-lhe de novo. Os olhares cruzavam-se e eles desviavam-no. Sentaram-se nuns bancos à sombra e sentiram a brisa suave e o aroma que o rio emanava. O segundo par passou por eles. Ela olhou para trás.
   - Eles estão a dar-se bem. – as raparigas piscaram o olho uma à outra.
   Ele continuava concentrado nas leves ondas do rio, no abanar das ervas. Ela fez o mesmo.
   - Obrigada. – a sua voz feminina sussurrou.
   - Obrigada porquê? – ele olhou-a.
   - Por vires comigo. Finalmente, decidiste arranjar um espaço para mim. – ela corou e olhou o chão.
   - Não tem nada a ver com arranjar espaço. Só me queria sentir sozinho contigo, sem ninguém a chatear. – ele sorriu e chegou-se perto dela.
    A mão direita do rapaz pousou no ombro direito dela e colou os dois corpos. Ela levantou a cabeça e olhou para os olhos dele. Aquele brilho. Aquela ternura com que ele a olhava... Tantas saudades de tudo aquilo.
    Ela sorriu-lhe e viu-o retribuir. Num impulso, ela abraçou-o e ele rodeou-a com os braços.
    - Queria fazer isto há tanto tempo. – murmurou ela.
    - O quê?
   - Abraçar-te. Sentir-te. – ele quebrou o abraço que os unia e olhou-a bem no fundo do seu olhar.
   - Gosto tanto de ti, pequenina. – sorriu.
   Ela prendeu a vista naquele sorriso. Aquele sorriso era o que a fazia feliz. Aquele sorriso com o poder de mover o mundo, poder de acabar com a tristeza.
   - Porquinha voadora.
   - Hum? – ele estava confuso.
   - Sou a tua pequenina porquinha voadora. – fez um sorriso de orelha a orelha.
   Ele riu-se. Olharam nos olhos um do outro, mais uma vez, e sorriram. Ele deu-lhe um leve beijo na testa e envolveu os seus braços à volta do corpo da rapariga, colando-a a ele. Ela fez o mesmo e sorriu, um verdadeiro sorriso de felicidade.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48

Tudo aqui presente é da autoria de Dália Rodrigues. Plágio é crime. Just sayin'...


3 comentários

Sem imagem de perfil

De aninha a 01.07.2009 às 23:31

que amavel :D bem n era esta a palavra mas acho que tbm serve :D
Sem imagem de perfil

De saragr a 02.07.2009 às 15:33

Que Doce... ou melhor esta um docinho...
ta mt fofa *-*
ADOREI!!
bjs
Sem imagem de perfil

De Mudei-me. Tchauzinho. a 13.09.2009 às 16:44

Escreves tão bem *o*
One-shot mesmo lindaa :)
Tens uma nova leitora =D
Beijinhs

Comentar post



sobre mim

foto do autor