Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


VWNHY - Cap. 13

por Dady, em 04.10.09

Oláá!

Bem, venho só postar a primeira parte do último capítulo antes de ir dormir a casa da minha Sarinha. (:

Sim, o último cap é dividido em partes, porque é enooorme. Umas 6 páginas de word xD

Eu adorei escrevê-lo, acho que ficou bastante bom.

Desculpem ter ficado ausente todo este tempo, minhas queridas.

 

                                                                                         Peace and kiss,
                                                                                                           Dady ;)

___________________________________________

 

 Part I

 

        - Charlotte! – gritava o mais que podia. – Charlotte! – correu toda a floresta, a cidade, tudo à sua procura. Começava a ficar desesperado. Será que… Charlotte estava ainda viva?
    Ele caiu de joelhos, devido ao cansaço e tentou concentrar-se, concentrar-se para tentar perceber onde estava Charlotte. A estranha transmissão de pensamentos dava jeito, afinal. Era uma casa de madeira, velha e próxima do rio. Via árvores que tapavam toda aquela zona. Ela gritava por Frank, bem no seu interior. Frank gritava por Charlotte, por todos os modos.
    - Estou a perder-te… para sempre. – baixou a cabeça e fechou os olhos, colocando as mãos na cara. - Não posso perder-te. Não posso! – levantou-se e correu para Sul, os seus instintos costumavam estar certos. Várias milhas, várias árvores, vários rios e ele sentia-se completamente perdido.
    Ela chorava e continuava a gritar o nome dele. Ele ouvia-o no fundo do coração, ele sentia uma dor aguda no seu estômago, mas mesmo assim, não parou. O objectivo dele era salvá-la e ia atingi-lo custasse o que custasse. Ele parou, encostou-se a uma árvore e gritou o mais alto que conseguiu: - Charlotte! – o seu nome ecoou por todas aquelas árvores e ela ouviu-o.
    - Frank! Aqui! – era um sussurro difícil de ouvir, pois o suave cântico dos pássaros não parava. – Frank! – ele olhou por todos os lados, mas não viu nada. Ouviu doces ondas baterem contra rochas. Avançou até lá. A casa de madeira, o rio, as árvores… era ali. Havia um cheiro estranhamente horrível, cheirava a… morte. Ele entrou rapidamente, procurando Charlotte.
    - Charlotte! – sussurrou.
    O teu irmão está comigo. Cuidado, por favor.
    O corredor era muito apertado e Frank quase não se conseguia mexer. Notavam-se rastos de sangue seco e lama pelo chão.
    “ – Larga-me! - ela gemia e esbracejava por todo o lado.
    - Pára quieta! Queres que te magoe a sério? Não vai custar nada, prometo-te. – esboçou um sorriso cínico.
    - Deixa-me em paz! – parou de esbracejar e começou a chorar, já sem força alguma.”
    Porquê? Porquê vampiro? Não podia ser um humano normal, sem problemas?           
    - Franky… - Gerard estava à sua frente com o seu sorriso de sempre, com os punhos cerrados.
    - Liberta a Charlotte!
    - Ela sabe demais e foram os pais que quiseram assim, tu sabes.
    - Foste tu que cometeste o erro! Deixa-a em paz! – Frank deu um largo passo até Gerard com um dedo esticado.
    - Não te estiques. – afastou a mão de Frank. – Sabes… a tua amiguinha deve ser mesmo saborosa. Não vejo a hora de os pais me deixarem avançar.
    - Eu disse-te para não lhe tocares! Como é que tu és capaz? Como?!
    - Tu mataste dezenas de pessoas e eu é que estou a cometer erros?
    - Isso agora não importa! Liberta a Charlotte, agora. – tentou parecer calmo, mas não conseguia disfarçar. A raiva era tanta que não conseguia controlá-la. – Agora! – elevou Gerard no ar.
    - Pousa-me. Os pais estão quase a chegar… não iam gostar de ver os irmãos à guerra, como em pequenos… mas desta vez, não na brincadeira.
    - Esta guerra dura desde sempre. Uma guerra que os pais criaram e tu aceitaste. Uma guerra que eles começaram e tu prolongaste!
    - Frank! – a voz de Charlotte fez-se ouvir por toda a casa. O coração dele deu um salto e dirigiu-se rapidamente ao quarto onde ela estava. Ele correu até ela, baixou-se e abraçou-a. Olhou-a e ela não tirava os olhos de algo. Ele olhou para trás: os pais dele estavam mesmo ali, à frente deles.
    - O que estão aqui a fazer? Como puderam autorizar isto? Vocês alguma vez tiveram a noção de ser pais? Vocês alguma vez tiveram um coração? – questionava-os raivosamente enquanto desatava a rapariga, que estava presa a uma cadeira.
    Ele levantou-a e abraçaram-se, enquanto os pais de Frank o olhavam. Frank olhou-os com ódio, tal como olhava o seu irmão.
    “ – Como eles estão crescidos. – dizia a mãe para o pai, enquanto viam Frank e Gerard a rir em conjunto e Cassandra corria para eles com o seu ursinho cor-de-rosa nos braços.
    - Será sempre assim?”
    Pequenas gotas de água salgada brotavam dos olhos claros do rapaz. Empurrou Charlotte para trás de si e avançou de encontro ao casal mais velho.
    - Como é que você pode deixar a mãe ficar neste estado? É um homem horroroso, sem escrúpulos! A mãe sofreu mais do que eu, por ter os seus filhos longe e em perigo e nem se importou com ela. – os seus olhos quase brancos tornaram-se vermelhos de raiva.Foste tu, seu ordinário, que magoaste a Cassy, não foste? Pediste ajuda aos Ustinov. Puseste o próprio namorado contra ela! Tu não tens noção do significado de amor, pois não?
    - Amor… ahah. – soltou uma gargalhada seca. - És tão ingénuo!
    - Frank! – o grito da rapariga ecoou por toda a sala, fazendo o chão ranger.

    Este olhou para trás e viu o corpo feminino ser agarrado por um corpo alto e musculado: Gerard. Sem Frank se perceber, algo pesado caiu sobre ele. Os seus joelhos cederam e caiu de barriga para baixo; sentiu a sua cabeça bater contra a perna da cadeira e a sua mente apagou-se.   

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:55

Tudo aqui presente é da autoria de Dália Rodrigues. Plágio é crime. Just sayin'...


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Mudei-me. Tchauzinho. a 04.10.2009 às 21:06

Isto não pode ser Dady!
Páras num momento crucial :O
Esta fic não devia acabar! Está lindaaa! Estou mesmo a amar (L)!
Ficou mesmo lindo esta parte do capitulo! Não me canso de dizer isto. Podia passar a noite a escrever
AMEI AMEI AMEI... e por ai a fora.
Beijos Sweetie.
Posta rapido!
Sem imagem de perfil

De Mudei-me. Tchauzinho. a 05.10.2009 às 22:08

De nada querida :D
Eu comento os blogues das muninas simpaticas sempre que posso.
Aww eu fiquei mesmo comovida :O
Não estava à espera :o
Beijinhs`*
Sem imagem de perfil

De Mudei-me. Tchauzinho. a 05.10.2009 às 22:54

:) Quando postas a proxima parte ?^^
Sem imagem de perfil

De Mudei-me. Tchauzinho. a 06.10.2009 às 00:16

Não me acho assim tão querida.
Estas pessoas ao contrario de eu devem ter coisas mais importantes do que passar o dia no pc. Ainda estou a fazer tpc's porque passei dia a escrever fic. xD
Sem imagem de perfil

De Mudei-me. Tchauzinho. a 06.10.2009 às 19:50

És como eu muihihi >.<
Sem imagem de perfil

De Mudei-me. Tchauzinho. a 08.10.2009 às 17:53

Há já uma beca grande que não os ouvia xD
Eu amo a Mama >.< Não sei porquÊ!
Eu, querida :O? A Dady é muito mais.
Imagem de perfil

De Eloise a 08.10.2009 às 18:48

Adorei :)
E tou curiosa para saber o fim.
Sem imagem de perfil

De Ju a 09.10.2009 às 11:41

Txii... o que eu tenho para ler! O.O

Comentar post



sobre mim

foto do autor