Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Um Pacto Com o Diabo - Parte 6

por Dady, em 27.08.08

Capitulo 6 , finalmenteee weeee xD

Força ai, lê tudo ! x)
~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~_~

Tinha ficado no hospital, tinha adormecido com o ombro em cima do Mikey, doía-me o pescoço para caraças. --‘

-- Bom dia, Mellanie.
-- Mikey, olá. Novidades ?
-- Não. Fiquei a noite toda acordado e nada. --.
-- E não o podemos visitar ? :O
-- Não sei de nada. Preferi ficar aqui a tomar conta de ti.
-- Obrigada, mas eu fico bem. – Levantei-me e pus-me á frente de um medico. – Olhe, desculpe. Gerard Way pode receber visitas?
-- Sim, sim, pode.

Sorri abertamente e fui buscar o Mikey : -- Andaaa ! Podemos entrar. *.*
-- Podemos ? Quem disse?
-- O médico.
Daah !

Abri a porta, larguei o Mikey e abracei o Gerard. Agarrei na sua mãe e deitei umas lágrimas grossas.

--
Não chores, Mell. Ele irá acordar.
-- Pois… hã.. Mikey, podes deixar-me um bocadinho sozinha com o Gerard ?
-- Claro. – Aproximou-se de mim, deu uma palmadinha aconchegante no irmão e deu-me um beijo na bochecha.
-- Amor, porque é que isto te aconteceu a ti ? Porquê a ti ?! Tenho tantas saudades tuas, estou tão preocupada. – Parei e limpei as lágrimas. – Por favor, acorda depressa… eu AMO-TE !

Devia ser parva a pensar que aquelas palavras fizessem com que ele acordasse. Isso só nos filmes, baah. Fiquei a olhar para ele os bons minutos. Mikey entrou e chamou-me: -- Mell, temos de ir.
-- Onde ? --‘
-- Acabou o tempo da visita.
-- Ok … - Dei um beijo ao Gerard e sai do quarto.-- Mikey…
-- Sim ?
-- Não aguento. Eu.. eu .. – abracei-me a ele e comecei a chorar.
-- Que se passa, Mell ? Sempre foste tão forte, porque estas assim agora ?
-- É que … o Gerard foi a única pessoa que me apoiou, que me ajudou , que me amou ! Mais ninguém fez nada por mim como ele.
-- Oh, que conversa é essa? Eu também gosto muito de ti e sabes que te apoio em tudo.
-- Mas nunca estiveste presente. --‘
-- Pois , e em relação a isso desculpa.
-- Ok … olha eu tenho de ir para as aulas. Baah --‘
-- Se calhar é melhor não ires. Vai dar uma volta, refresca as ideias. Eu fico aqui e se houver novidades ligo-te.
-- Ok, obrigada, Mikey. – Sai do hospital, ainda a olhar para trás. Queria ficar ali, mas aquele ambiente era péssimo. Fui até ao jardim ali perto, não estava lá ninguém .. – Oh, por favor, meu Deus… como posso ajudar o Gerard? Gosto tanto dele, não o consigo ver assim. Por favor, ajude-me !

Atirei-me para cima do banco de jardim e vi uma joaninha a passar por ali, peguei nela e pu-la na minha mão. De repente fez um barulho esquisito e transformou-se num bicho estranho que rapidamente aumentou de tamanho. Agitei a mão para que saísse e pus-me em cima do banco, com medo. Aquilo ficava cada vez maior, maior, maior.  Era um bicho esquisito, muito esquisito mesmo. Nao tinha cor definida, era mais para o castanho do que para a cor de pele, as iris mais pequenas que o costume e de cor vermelha.

-- Que .. que és tu ? |:
-- Não pediste ajuda ? --‘
-- Eu pedi a DEUS e não a uma joaninha que se transforma em não sei o quê e aumenta de tamanho. O.o
-- Ok, ainda não percebeste ?
-- Hã… não … |:
-- Eu não sou Deus, mas sou o Diabo, pá !
-- Hã ? Di..Di..Diabo ?? :O
-- Sim. Nunca ouviste falar ?
-- Já, mas pensei que não fosse verdade, que fosse apenas um mito.
-- Eu ? Um mito ? Ahahah. Estes humanos são loucos. -.-
-- Heey. Afinal que queres de mim ?
-- Eu ? Tu é que pediste ajuda, miúda. Orienta-te, se faz favor. Tu querias ajudar o teu querido e eu posso ajudar-te.
-- A sério ??
-- Sim, mas preciso de algo em troca.
-- Oh meu Deus. O que é ?
-- Tens de assinar um pacto comigo. Fazes tudo aquilo que eu quiser que faças.
-- Mas vai acordar o Gerard?
-- Sim, claro que sim.
-- Mesmo, mesmo ??
-- Sim, pá. Agora assinas ou não ?
-- Sim, assino ! – Ele tirou do bolso do manto um papel, não tinha nada escrito. Estendeu-mo.
-- Tens de assinar com o teu sangue.
-- Quê ? Com o meu sangue ?? De onde o vou tirar? – Estendeu a outra mão e fez-me um golpe brusco no pulso da mão esquerda.
-- Assina com esse sangue.
-- Ok. – Passei o dedo pelo corte para tirar um pouco de sangue e rapidamente o pus em cima do papel, entreguei-lhe o papel.
-- Não podes voltar atrás… - E com isto dito evaporara-se. Não sabia o que tinha acabado de fazer. Seria uma loucura ? Um acto de amor ? Aii estou confusa. :x

Fui para junto do lago onde haviam os peixinhos a passear, sentei-me a beira de agua e fiquei a pensar no que acabara de fazer. Se o Diabo realmente acordasse Gerard, não se importava do que fizera. Se não o acordasse, não faria nada do que ele quisesse. O telemóvel tocou. Será que Gerard já acordara ? Dera sinais de vida ? … Apressei-me a atender.

-- Estou, Mikey. Novidades ?
-- Calma, Mell. Ainda não há novidades, queria saber como estavas.
-- OMG ! Ele ainda não fez nada. --‘ – Disse para mim.
-- O que, Mell ? Quem ?
-- Hã… nada, nada. Esta tudo bem comigo, obrigada.
-- Ainda bem. Queres que vá ter contigo ?
-- Não, está tudo bem.
-- Pronto, ok. Ate logo.
-- Adeus. :x

Desliguei o telemóvel. Grrr ! Ele ainda não fez nada, fogo ! Será que precisa de tempo ? :S
E do nada ouvi uma voz atrás de mim …

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:46

Tudo aqui presente é da autoria de Dália Rodrigues. Plágio é crime. Just sayin'...


2 comentários

Sem imagem de perfil

De aninha a 27.08.2008 às 18:27

que voz era? o diabo? algum amigo?? os pais?? aaaaaaaaa escreve rapido
Sem imagem de perfil

De Claudjinhaa a 28.08.2008 às 11:18

Aii que medo T_T
A parte emocionante vai começar T_T

Comentar post



sobre mim

foto do autor